O Capa-Branca – Rádio Caçula (Três Lagoas/MS), 2 de maio de 2017

Autores do livro O Capa-Branca irão realizar palestra na AEMS

Livro narra trajetória de funcionário que se tornou paciente do Juquery

O curso de Jornalismo da AEMS convida todos os interessados em Jornalismo Literário, para participarem de uma palestra que irá ocorrer amanhã, 03 de maio, na produtora de audiovisual da Instituição, às 19 horas. Gratuita, a palestra irá abordar o processo de produção do livro O Capa-Branca.

1ocapabranca

O Capa-Branca conta a história de Walter Farias, ex-atendente de enfermagem que trabalhou e foi internado em um dos maiores hospitais psiquiátricos do Brasil. No livro O Capa-Branca, o jornalista Daniel Navarro Sonim reuniu, a partir de manuscritos e entrevistas, as experiências de vida de Walter Farias, ex-funcionário que se transformou em paciente, na década de 1970, do Complexo Psiquiátrico do Juquery, em Franco da Rocha, na Região Metropolitana de São Paulo. Números oficiais dão conta que naquela época o local chegou a abrigar quase o dobro das 9 mil pessoas que tinha condição de comportar.

Aprovado no concurso público para atendente de enfermagem, Walter é designado para cuidar de pacientes acamados ou que perambulam, alheios à realidade, pelos corredores das clínicas do Hospital Psiquiátrico. A vida do protagonista de O Capa-Branca começa a tomar outro rumo depois da repentina transferência para o Manicômio Judiciário, onde ele convive com pacientes que cometeram crimes, alguns deles violentos e com requintes de crueldade.

A rotina no manicômio abala sua sanidade e o obriga a abandonar sua capa branca, o jaleco que os funcionários vestiam para trabalhar. Dali em diante, a única alternativa é a internação. Ao se tornar mais um paciente do Juquery, passa a sentir na pele os horrores daquele lugar.

Na visão de Walter Farias, que hoje está aposentado, as pessoas acreditam que ele tenha se tornado esquisito depois da convivência por sete anos com os doentes. “Eu aposto que muita gente nem imagina quais são os verdadeiros limites da loucura. Mas será que a mente humana possui limites?”, desafia Walter.

Confira aqui a matéria na íntegra

E veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em O Capa-Branca

O Capa-Branca – Unisa Notícias, 18 de abril de 2017

capa_-_o_capa-branca_-_baixa_resolu_o

Curso de Psicologia realiza palestra sobre Psicopatologia e Psicologia Forense

No próximo dia 18 de abril, às 19h30, a Graduação em Psicologia da Universidade Santo Amaro – Unisa receberá a palestra “Psicopatologia e Psicologia Forense”, em torno da abordagem sobre “Vivências no Manicômio: de Funcionário para Paciente”, no Campus II – Metrô Adolfo Pinheiro.

Os palestrantes Walter Farias e Daniel Navarro Sonim apresentarão questões do movimento antimanicomial, gerando condições para desenvolvimento do pensamento crítico em relação ao respeito do impacto causado na Psicopatologia e Psicologia Forense. Eles são autores do livro “O Capa-Branca”, que narra a história de Walter Farias no período em que migrou de funcionário para paciente de um dos maiores manicômios do Brasil.

Os alunos interessados em participar do evento podem se inscrever pelo site www.unisa.br, em Eventos.

Palestra sobre Psicopatologia e Psicologia Forense
Data: 18 de abril de 2017
Horário: das 19h30 às 23h00
Local: Auditório do Campus II – Metrô Adolfo Pinheiro
Rua Isabel Schmidt, 349. Santo Amaro, São Paulo – SP
Inscrições: www.unisa.br, em Eventos

Confira aqui a notícia publicada no site Unisa Notícias

E veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em O Capa-Branca

Ninguém Humano – Nuvem de Livros (em espanhol), fevereiro de 2016

captura-de-tela-2017-02-08-as-19-24-24

captura-de-tela-2017-02-08-as-19-24-38

Leia aqui a resenha publicada originalmente no site da Nuvem de Livros

Veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em Ninguém humano

Ninguém Humano – Nuvem de Livros, fevereiro de 2016

captura-de-tela-2017-02-08-as-19-18-48

Captura de Tela 2017-02-08 às 19.19.01.png

Leia aqui a resenha publicada originalmente no site da Nuvem de livros

Veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em Ninguém humano

Junto e misturado – Exame, 28 de janeiro de 2017

5 livros para entender o Brasil de 2017

Junto e misturado: uma etnografia do PCC

capa_pcc_-_alta_1

Nesta obra, indicada por Paulo de Tarso, pesquisador sobre o sistema carcerário do país, no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, o leitor é apresentado ao universo do Primeiro Comando da Capital, o PCC. A leitura é necessária para entender o que acontece dentro dos presídios brasileiros, que nas últimas semanas têm sido palco de diversas rebeliões e massacres.

De acordo com o pesquisador, o livro esclarece a incapacidade do Estado em controlar os presídios brasileiros e explica o desenvolvimento histórico da maior organização criminosa do Brasil.

“Essas organizações, ao perceberem o afastamento do Estado de suas responsabilidades, passaram a se organizar e se articular como substitutos. Em simples palavras, fenômenos como o PCC são consequências da falta do governo de suas funções básicas no sistema carcerário”, diz o pesquisador.

Autor: Karina Biondi / Editora: Terceiro Nome

Confira aqui a lista completa publicada pela Exame

E veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em Coleção Antropologia Hoje, Junto e Misturado: uma etnografia do PCC

Pau-brasil – Diário Oficial (São Paulo), 26 de novembro de 2016

captura-de-tela-2017-01-23-as-08-53-55

Clique aqui para ver a matéria publicada originalmente no site do Diário Oficial

Veja aqui mais informações sobre o livro

Confira também a versão em inglês deste livro: Brazilwood – the color and the sound

Deixe um comentário

Arquivado em Pau-brasil

Névoa de superfície – Diário do Pará, 27 de novembro de 2016

domicio

Clique na imagem para ampliá-la

Confira aqui esta matéria publicada na versão online do jornal Diário do Pará

E veja aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em Névoa de superficie