Arquivo da categoria: A flecha do ciúme

A flecha do ciúme – o parentesco e seu avesso segundo os Aweti do Alto Xingu – Campos: Revista de Antropologia Social UFPR

marina_vanzolini

“O livro de Marina Vanzolini trilha o caminho dos avessos para nos contar sobre o complexo multiétnico e multilíngue do Alto Xingu, que se assenta no Brasil Central, zona de transição entre a vegetação amazônica e o cerrado brasileiro. Localizado na parte sul do Parque Indígena do Xingu (PIX), extremo alto da bacia hidrográfica, o complexo xinguano consiste em um conjunto de povos falantes de línguas aruak, karib, tupi, além dos Trumai, falantes de uma língua isolada, povos que partilham uma definição recíproca de humanidade, uma estética ritual, uma terminologia de parentesco e um corpus mítico relativamente homogêneos. Sua pré-história remonta cerca de mil anos atrás, quando povos aruak teriam ocupado a região, seguidos por povos karib, que gradativamente firmaram relações pacíficas com os primeiros. Pouco a pouco, outros povos foram se incorporando pelo estabelecimento de relações matrimoniais, cerimoniais e econômicas. No livro, entretanto, a base aruak-karib deste sistema regional, assertada pela arqueologia e pela história oral destes povos, sai do primeiro plano abrindo espaço para uma narrativa tupi, do povo Aweti: Vanzolini aposta no rendimento das bordas, dos limites, para caracterizar a identidade xinguana – a xinguanidade – e por tal, enraíza sua perspectiva em um dos últimos povos a se integrar ao complexo, provavelmente nos fins do século XVIII.”

Leia aqui a matéria na íntegra

E veja aqui mais informações sobre o livro

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em A flecha do ciúme

A flecha do ciúme – Brasileiros (Agenda B!), 3 de novembro de 2014

A flecha do ciúme Capa Final.indd

Livro retrata cotidiano de povo indígena do Alto Xingu

A antropóloga Marina Vanzolini analisa a feitiçaria e o parentesco entre os Aweti

O livro, A flecha do ciúme, baseado no trabalho de campo desenvolvido desde 2006 pela antropóloga Marina Vanzolini, na região do Alto Xingu, é uma etnografia sobre feitiçaria e suas imbricações com o parentesco no sistema multilíngue xinguano, sob a perspectiva de um dos povos que o integram, os Aweti.

Habitantes das margens dos rios Curisevo e Tuatuari, nas cabeceiras do rio Xingu, ao norte do Mato Grosso, os Aweti são um povo falante de língua tupi ainda pouco conhecido na literatura etnológica.

O lançamento do livro acontece dia 5 de novembro , às 19 horas no Sabiá Bar e Restaurante (Rua Purpurina, 370, Vila Madalena.

Veja aqui a matéria publicada no site da Brasileiros

E confira aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em A flecha do ciúme, Coleção Antropologia Hoje

A flecha do ciúme – Agência USP de Notícias, 4 de novembro de 2015

A flecha do ciúme

A flecha do ciúme Capa Final.indd

No dia 5 de novembro, às 19 horas, será lançado o livro A flecha do ciúme – o parentesco e seu avesso segundo dos Aweti do Alto Xingu (Editora Terceiro Nome, 376 págs,).

A autora é Marina Vanzolini, antropóloga e professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Nessa obra, que compõe a coleção “Antropologia Hoje”, a pesquisadora analisa a feitiçaria e o parentesco entre os Aweti, um povo indígena ainda pouco conhecido que habita as margens dos rios Curisevo e Tuatuari, nas cabeceiras do rio Xingu, ao norte do Mato Grosso.

A noite de autógrafos é aberta ao público e será no Sabiá Bar e Restaurante, na Rua Purpurina, 370, Vila Madalena.

Veja aqui a nota publicada na íntegra no site da Agência USP de Notícias

E confira aqui mais informações sobre o livro

Deixe um comentário

Arquivado em A flecha do ciúme, Coleção Antropologia Hoje