Meu bisavô – blog Conta uma História, 21 de dezembro de 2015

Livro infantojuvenil aborda a morte de forma delicada e ajuda a explicar com naturalidade a perda de entes queridos

Meu bisavô - CAPA

Cedo ou tarde, as crianças têm que lidar com a perda de um parente, amigo ou animal de estimação. Por isso os adultos devem prepará-las com clareza e honestidade. Quando protegidas desse forte impacto emocional, elas tendem a crescer em um mundo de ilusão e, mais tarde, terão dificuldades em assimilar o luto.

Em “Meu bisavô”, lançamento da Editora Terceiro Nome, a autora Sílvia Zatz, inspirada pela convivência com os bisnetos do avô dela, que viveu até os 100 anos de idade, ajuda os pequenos leitores a perceberem como é possível, em um momento de dor e tristeza, preservar a memória de uma pessoa querida.

“Quando meu avô faleceu, as crianças, bisnetas dele, apareceram com muitas dúvidas e cada uma tentava entender a perda à sua maneira. As questões que partiam deles e para as quais eu não tinha respostas, me despertaram a vontade de tratar do tema”, revela Sílvia.

A autora, de forma aberta, sem conceitos pré-estabelecidos, também reflete sobre a efemeridade da vida ao questionar se 100 anos é muito ou pouco já que tudo tem um tempo de duração. A árvore mais antiga do mundo, por exemplo, tem 4 mil anos. No entanto, a primavera dura apenas três meses. E o Sol, por sua vez, já ilumina e aquece o planeta Terra há mais de 4 bilhões de anos.

As ilustrações sensíveis e alegres de Paula Juchem acompanham o texto poético de Sílvia Zatz. “Quis seguir o espírito do texto para tratar desse tema sem tristeza e da maneira mais natural possível.”, conclui Paula.

Sílvia Zatz é paulistana de 1969. Já foi cineasta e designer de jogos, profissões nas quais a criação e o lúdico estiveram sempre presentes. Publicou seu primeiro livro, O clube dos contrários, em 1999, e desde então não parou mais. É autora de mais de quinze livros infantis e infantojuvenis, vários deles recomendados pela FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil). Entre os seus títulos estão Planeta corpo, Quem sou eu e O porquê dos por quês. Mantém uma parceria literária de quase dez anos com Michel Gorski tendo escrito também ivros a quatro mãos para diversos públicos, dos quais publicaram o juvenil Por um triz (Rocco, 2012), os infantis Irerê da Silva e A mão livre do vovô, além do romance O soprador, os três últimos lançados pela Editora Terceiro Nome.

A ilustradora Paula Juchem é formada em desenho industrial e comunicação visual pela Universidade Federal de Santa Maria (RS), onde nasceu. Trabalhou por 15 anos na Itália, onde produziu ilustrações e projetos de design para marcas europeias como Conran Shop, Cassina, Feb Design, Diamantini & Domeniconi, Dovetusai, Lia di Gregorio Studio, Shop Saman e Non Sans Raison. Em 2012, a Design Gallery Milano apresentou uma coleção de pratos de porcelana assinados pela designer brasileira. De volta ao Brasil nesse mesmo ano, a artista se fixou em São Paulo e estreou no mercado nacional com uma linha de pratos em porcelana, únicos e autorais.

Confira aqui a resenha originalmente publicada no blog Conta uma História

E veja aqui mais informações sobre o livro

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Meu bisavô

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s